História da Cidade de Embu-Guacu SP

Por volta do século XIX, em mais uma de suas andanças pelos sertões paulistas, o serta- nista José Pires de Albuquerque deparou-se com a região que hoje compõem o município de Embu-Guaçu, impressionado com a beleza natural do lugar, resolveu voltar mais tarde e fixar residência. Construiu a primeira casa que hoje faz parte do patrimônio da Palquima Indústria Química Paulista S.A., construção esta levantada com mão de obra escrava, de taipa como eram as construções no período colonial. Com o passar dos anos, foram chegando novas famílias: os Roschel, os Creim, os Schunck, os Domingues e outros que constituíram as famílias pioneiras da região.Por mais de meio século a região apresentou um crescimento populacional, econômico e social bastante moroso, porém com a chegada dos trilhos do ramal ferroviário Mairinque- Santos, da Estrada de Ferro Sorocabana – atual FEPASA, em 1932, a região começou a crescer em todos os sentidos.

EVOLUÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA

1932 : Embu-Guaçu é elevado à condição de Vila

1944 : é elevado à categoria de distrito pelo Decreto Lei nº 14.334/44

28/03/1965 : emancipa-se de Itapecerica da Serra, de onde era distrito

 

ORIGEM DO NOME

O primeiro nome atribuído à região foi Ilha de Itararé, posteriormente M’Boi Guaçu e atualmente Embu-Guaçu, nome originário da língua Tupi-guarani, que significa “cobra Grande” – alusão ao formato sinuoso do Rio de mesmo nome.

 

PONTOS TURÍSTICOS

1ª Casa de Embu-Guaçu (propriedade de Palquima)

Chaminé Cerâmica (antiga Valflor)

Porto de Areia

Mina de Ouro (extinta)

Parque Ecológico da Várzea Guarapiranga

Estação Ferroviária – Embu-Guaçu

Igreja Santa Terezinha

Fazenda da Ilha

Olaria

Ponte do Burrinho

Fornos

Igreja São Sebastião – Cipo-Guaçu

Represa Cipó

Estação Ferroviária – Mário Souto